Entre os divertimentos mundanos existentes hoje, a televisão é o maior bandido no caminho da vida. Está levando as pessoas a um estado de sonolência moral e espiritual. Sua influência maligna tem invadido inúmeros lares. Cenas revoltantes de imoralidade e crime estão penetrando a santidade do lar. Trata-se de algo muito mais perigoso do que as demais influências pecaminosas que existem por todo lado, pois fica dentro de casa – e isto com o consentimento dos pais.

 

A maioria dos pais nunca chegou a cogitar a possibilidade de levar seus filhos às casas noturnas, aos cinemas que passam filmes pornográficos, ou a qualquer outro lugar onde se cometem imoralidades. E no entanto, aquilo que se vê nestes lugares é visto por adultos e crianças – bem na sala de casa. Isto para Satanás tem sido uma vitória de proporções estrondosas! Durante toda a história do homem, será que já houve coisa semelhante para destruir tão completamente a juventude em nível mundial?

 

É um fato indiscutível que aquilo que se vê com os olhos deixa uma impressão nítida na mente humana. Também é um fato que o que mais se vê na televisão são assaltos a mão armada, brigas, homicídios, e cenas de homens e mulheres bebendo, fumando, dançando – muitas vezes praticamente nus.

 

Em tudo isso o que está em jogo é a moralidade e a sobrevivência espiritual das multidões. Os milhões de telespectadores, já num estado de anemia moral aguda, e sem força para resistir, estão se alimentando diariamente com uma dieta de brutalidade e crimes violentos, servida por homens totalmente sem escrúpulos.

 

Muitos destes telespectadores concordam plenamente que a televisão é um grande mal, mas ao mesmo tempo procuram justificá-la, citando programas religiosos e educacionais, os noticiários, previsões meteorológicas, ou de mercado. Alegam que a mesma mão que liga a televisão é capaz de desligá-la – o que, infelizmente, muitas vezes não acontece. Gasta-se muito tempo valioso na frente deste aparelho. A Bíblia adverte contra o desperdício de tempo: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus” (Efésios 5:15-16).

 

Crianças inocentes seguem o exemplo dos pais. Pouco pensando em seus efeitos a longo prazo, os pais dão a este aparelho tão poderoso, um lugar de estima no lar. Transforma-se em babá, liberando os pais para praticarem outras atividades. Criança alguma deve ser exposta à angústia mental provocada por cenas de terror que passam na televisão. Antes, o que precisam é de uma orientação e exemplo de como temer e respeitar a Deus.

 

Muitos dos nossos juízes, magistrados, e pedagogos estão ficando alarmados com os efeitos negativos que os programas vistos na televisão estão provocando. Muitas crianças chegam a viver num mundo imaginário, e em alguns lugares, há cursos especiais que são ministrados no pré para ajudá-las a adaptar-se à vida real.

 

Os programas exibidos estão se degenerando cada vez mais. Há um desprezo pela vida familiar. O divórcio, o adultério, e o aborto são apresentados como algo totalmente normal. Antenas parabólicas captam os piores programas de violência e pornografia do exterior. Aparelhos de vídeo possibilitam a gravação de filmes impudentes que passam na televisão – mesmo na ausência da pessoa – para serem vistas na hora que quiser, sem falar nos filmes pornográficos que podem ser alugados. Há programas para desviar a mente humana das realidades da vida, praticamente vinte e quatro horas por dia.

 

Pais cristãos não podem ficar calados mais! Satanás invadiu o lar disfarçado de televisor. Onde estão os tempos de sossego, quando ainda sobrava tempo para conversas íntimas, tão importantes para a união e bem-estar da família? Onde estão os tempos quando os pais e os filhos cultivavam o dom de cantar, assim passando muitas horas felizes? Hoje muitas famílias estão perdendo as bênçãos mais ricas da vida – em troca das alfarrobas (leia Lucas 15:16) que este mundo frio oferece àqueles que comem à sua mesa. As novelas, os shows, e a grande variedade de divertimentos apresentados pela televisão nunca poderão substituir aquilo que já se perdeu – a tranqüilidade de um lar onde Deus fica em primeiro lugar. Seria extremamente difícil, num lar onde há televisão, manter um ambiente conducente à vida pura e virtuosa, e praticar aquilo que é verdadeiro, honesto, justo, puro, e amável (leia Filipenses 4:8).

 

Estamos vivendo nos últimos tempos. Logo, logo os juízos de Deus cairão sobre um mundo que só quer saber de prazer. Sendo que o pecado e a iniqüidade estão se multiplicando por todo lado, o amor de muitos está esfriando (leia Mateus 23:12). Hoje a graça de Deus ainda está à disposição da humanidade, mas quando passar este tempo, não haverá mais oportunidade de escolher o caminho certo. É preferível ficar sem a televisão hoje do que ser o objeto da ira de Deus no dia final, e ser condenado por negligência da sua própria família. “Ninguém pode servir a dois senhores” (Mateus 6:24). “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

 

Ao ler estas linhas que dão conta destes fatos assustadores e inquietantes, você sente no fundo de seu coração um desejo de mudar a sua vida; de procurar a verdadeira felicidade? “Pelo que saí do meio deles, apartai-vos, diz o Senhor. Não toqueis nada imundo, e eu vos receberei” (2 Coríntios 6:17).

 

Deus tem um plano para a nossa felicidade – um plano que nos afasta da corrupção deste mundo. Ele quer que cheguemos bem perto dele, onde a nossa alma encontra sossego. A verdadeira felicidade não se encontra nos prazeres e paixões momentâneos, mas sim, no tesouro divino de uma consciência limpa e um coração puro.

 

Prezado leitor, vamos aceitar o convite que Deus está nos fazendo, e abandonar toda e qualquer coisa que possa nos prejudicar ou corromper. Procuremos antes aquelas coisas que nos podem proporcionar os verdadeiros valores da vida, o amor, e a felicidade, para assim termos corações e lares felizes.

 

Publicado pela Igreja de Deus em Cristo - Menonita